19 de jan de 2012

Uma fotografia da vida...


Eu estava na rua, em uma certa manhã indo a uma consulta, talvez, quando aquela imagem urbana, vazi de carros e com poucas pessoas, me chamou a atenção e eu vi uma bela fotografia P&B: Sempre acho que fotografias urbanas ficam ótimas em P&B.
Achei então que deveria fotografar. Fui para trás de uma árvore, onde ali perto havia um menino embalando algumas balas, feliz, cantando. Eu não havia o reparado ali, mas ele me observava.

Registrei aquelas imagens e quando ia guardar a câmera, o menino me parou e perguntou:
- Você não tem medo?
- De que?
- De ficar sem sua câmera.
- Bem, medo eu até tenho, mas a paixão pela fotografia e a beleza que as coisas simples tem, acabam sendo maior do que qualquer medo.
Ele ouviu, de cabeça baixa e respondeu:
- Entendi.
Ele ia se afastando. Cabeça ainda baixa. Resolveu voltar:
- Posso ver?
- O que?
- Suas fotos.
- Claro.
E mostrei-lhe minhas imagens.
Ele viu todas com tamanha adimiração, que me achei a maior fotógrafa do mundo.

Quando chegou a primeira fotografia novamente, ele, ainda de cabeça baixa, levantou o olhar e riu timidamente. Com voz tão baixa que mal pude ouvir, ele perguntou:
- Posso?
Eu relutei, graças ao pré-conceito natural de todo ser humano. Mas eu não podia negar.
A câmera já estava em meu pescoço e respondi:
- Pode. Mas vou deixá-la aqui no meu pescoço para evitar quedas.
Ele sorriu, sem graça, e com olhar inocente de menino, mas que conhecia a realidade do mundo, foi como se tivesse entendido a real razão e disse:
- Tudo bem.
E fotografou assim como eu, o que ele achava belo. As pessoas passando, as folhas da árvore, suas balas no cantinho do degrau de uma loja qualquer e até meu sorriso achando graça de tudo.
Vimos as fotos, e o fotografei também. Disse que eu tinha que ir (já estava realmente atrasada).
Ele sorriu e disse com toda serenidade e simplicidade existente em um olhar de criança:
- Um dia você volta? É que quando eu crescer, quero ser como você.
Eu disse que voltava. E voltarei com toda certeza.

Esse post tem participação especial (indireta) do Japa. E do menininho da bala que ele vê quase constantemente.

2 comentários:

  1. meeeeeeeeeeeeu, só coisa linda aqui heim. Sinistro... Amei o texto, parabéns

    ResponderExcluir
  2. Briigadão, Ju. Que bom que gostou.
    ps: adorei o tumblr :) (minha música favorita dos Beatles, rs)

    ResponderExcluir

Gostou?
Comenta e volte sempre que quiser :)