8 de ago de 2012

presente

 

Mas crianças são uns seres que nos fazem pensar, né? Nas minhas idas e vindas, vontades e desvontades de lecionar, acabei descobrindo que: embora haja aqueles estresses, é o que eu realmente gosto. Talvez eu goste de crianças, talvez goste de formar vidas, talvez os dois. Não existe nada mais gratificante do que você corrigir os erros (às vezes ser até um pouco grossa), e no fim, receber um abraço e um sorriso. (breve isso tudo será registrado na minha t3 *-*).

Mas, o post vem para outra coisa. Aprendo (não gosto de dizer "trabalho") com crianças de 3 anos, que ainda não respondem a chamada.  Então, eu disse: "quando a tia chamar, responde presente) quando alguém me perguntou com a cara mais feliz do mundo: "vai ter presente, tia??". Na hora, eu respondi que não. Mas, depois desse não, eu mergulhei nos meus pensamentos: presente.

Presente pode ser algo material que se ganha, e é também tempo verbal (pretérito, presente, futuro) e eu me perguntei por que em português aprendemos isso. Descobri que vai além ds aulas de português. E chega até as aulas da vida. Bem, o passado, já se foi. O futuro, ninguém sabe, e o presente? Ah, o presente é um presente, mas daqueles bem dados. Que na maioria das vezes são surpresas.

E aí eu penso também em como nós nos preocupamos demais com todos os tempos, menos com o danado do presente. Pensamos no passado, e isso de fato é bom. Mas não como uma constante. Afinal, já foi e lembrar sempre, às vezes não é legal. Sobre o futuro... Sonhar é bom. Pensar nos dias que virão, melhor ainda. Só não deixe que isso te consuma. Projete um sonho, e viva no presente para ele se realizar. E quando esse sonho estiver a poucos dias de tornar realidade, viva o presente mais ainda. Pensar no futuro nessas horas, faz os dias demorarem muito mais a passar (experiência própria: chega o aniversário do vida, mas não chega sábado...)

Ufa, agora eu sinto que estou começando a entender (na prática e com consciência) aquela história de que nós aprendemos com as crianças. Aprendendo finalmente a dar valor aos mínimos momentos e palavras em formação que ouço todos os dias. Aprendendo a ser criança e a crescer mais um pouquinho a cada dia.

Então, fica a dica: dentre os tempos passado, presente e futuro, o presente, é o mais valioso, e foi feito assim, como um presente no sentido "material" da palavra. Que nos é dado um pouquinho de cada vez, ao mesmo tempo, muito de cada vez.

E, outra dica, valorize cada palavra, cada "besteirinha", cada momento com uma criança. É ali, naquela hora, que você aprende lições para uma vida inteira.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Gostou?
Comenta e volte sempre que quiser :)